A Prevalência dos Transtornos de Ansiedade

A ansiedade é um sistema defesa para nosso organismo, sendo um sinal de alerta que permite as pessoas a ficarem alertas frente á uma ameaça existente em nossa realidade(1,2). Ansiedade é um sentimento vago e desagradável de medo, apreensão, caracterizado por tensão ou desconforto originado pelo pensamento de previsão de futuro catastrófico, de algo desconhecido ou catastrófico(2,3).

Os transtornos ansiosos são os mais prevalentes tanto em crianças quanto adultos, sua taxa de prevalência é de 9% á 15% respectivamente(4,5). O transtorno de ansiedade de separação tem uma taxa de prevalência de 4%, o transtorno de ansiedade excessiva ou TAG tem taxas de 2 a 4% e fobias específicas de 2 á 3%, fobia social 1% e Transtorno do pânico 0,6%(2,6,7). A causa dos transtornos ansiosos são de várias origens, incluem fatores genéticos e ambientais, afetam mais as mulheres do que homens, apresentam um curso crônico, com alguns episódios periódicos ou flutuantes(1,4,8).

O profissional deve observar algumas contingências como a história detalhada do início dos sintomas, fatores desencadeantes, desenvolvimento, comportamento dos pais, fatores etiológicos e a presença de comorbidade(9). O Transtorno de ansiedade é um transtorno psiquiátrico, caracterizado por uma preocupação excessiva, de início visto como leve e associada á comorbidades individuais e sociais(1,10).

 

REFERÊNCIAS:

  1. Layne AE, Bernat DH, Victor AM, Bernstein GA. Generalized anxiety disorder in a nonclinical sample of children: Symptom presentation and predictors of impairment. J Anxiety Disord. 2009;23(2):283–9.
  2. Regina A, Castillo GL, Recondo R, Asbahr FR. Transtornos de ansiedade ranstornos de ansiedade. Rev Bras Psiquiatr. 2000;22(supl III):22–5.
  3. ALLEN AJ, LEONARD H, SWEDO SE. Current Knowledge of Medications for the Treatment of Childhood Anxiety Disorders. J Am Acad Child Adolesc Psychiatry [Internet]. 1995;34(8):976–86. Available from: http://dx.doi.org/10.1097/00004583-199508000-00007
  4. BERNSTEIN GA, BORCHARDT CM, PERWIEN AR. Anxiety Disorders in Children and Adolescents: A Review of the Past 10 Years. J Am Acad Child Adolesc Psychiatry [Internet]. 2003;35(9):1110–9. Available from: http://dx.doi.org/10.1097/00004583-199609000-00008
  5. Herkenham M, Kigar SL. Contributions of the adaptive immune system to mood regulation: Mechanisms and pathways of neuroimmune interactions. Prog Neuro-Psychopharmacology Biol Psychiatry [Internet]. 2017;79:49–57. Available from: http://dx.doi.org/10.1016/j.pnpbp.2016.09.003
  6. Whitaker A. Uncommon Troubles in Young People: Arch Gen Psychiatry. 2011;47(5):487.
  7. Mcardle ET, Pollack MH, Worthington JJ, Sabatino S, Majcher D, Rosenbaum F. Relationship of Childhood Anxiety Correlates and Influence to Adult Panic on Course Disorder: Am J Psychiatry. 1996;153(March):376–81.
  8. Hunter C. Anxiety disorders in children and adolescents .pdf. South Med J. 1999;92(10):945–54.
  9. Beitchman JH, Cantwell DP, Forness SR, Kavale KA, Kauffman JM. Practice Parameters for the Assessment and Treatment of Children and Adolescents With Language and Learning Disorders. J Am Acad Child Adolesc Psychiatry. 2003;37(10):46S-62S.
  10. Barry A B TJ, Yeung SP, Lau JYF. Meta-analysis of the in uence of age on symptom change following fl cognitive-behavioural treatment for anxiety disorders. J Adolesc [Internet]. 2018;68(August):232–41. Available from: https://doi.org/10.1016/j.adolescence.2018.08.008

 

Tags: No tags

Add a Comment

You must be logged in to post a comment