PENSAMENTOS AUTOMÁTICOS

PENSAMENTOS AUTOMÁTICOS

Segundo Beck (1964), os Pensamentos Automáticos(PA) são um fluxo de pensamento mais manifesto1. Eles não ocorrem somente em pessoas que têm algum tipo de sofrimento psicológico, são uma experiência comum a todos nós1. Na maioria das vezes não temos consciência deles mas com pouco treino podemos trazê-los a consciência1. Quando percebemos estes pensamentos, verificamos a realidade, caso não estivermos com algum transtorno psicológico1.

Os PA são geralmente mais breves, percebemos mais as emoções do que os pensamentos1. Os nossos sentimentos estão ligados aos conteúdos destes PA1. Eles podem surgir na forma verbal, visual (imagens) ou ambas1. O PA mais comum é distorção, erro cognitivo, equívocos lógicos de pensamento, são, portanto, em sua maioria disfuncionais (distorcidos)1. O pensamento pode ser até correto, mas a conclusão dele, pode ser distorcida1. Em resumo, eles coexistem com um pensamento mais manifesto, surgem de forma espontânea e não são baseados na reflexão1.

Na terapia cognitiva utilizamos e ensinamos os pacientes a identificarem esses pensamentos, seguem alguns métodos para ajudar a identificar os PA:

  • Reconhecimento das mudanças de humor;
  • Psicoeducação;
  • Descoberta guiada;
  • Registro de pensamentos;
  • Exercícios de imagens mentais;
  • Exercícios de rola-play;
  • Uso de inventários2.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

  1. Beck, J. Terapia Cognitiva: teoria e prática. (Artmed, 1997).
  2. Wrigth, J; Basco, M. . T. M. Aprendendo a Terapia Cognitivo-Comportamental na Prática: guia ilustrado. (artmed, 2008).
Design sem nome

Crenças Nucleares

De acordo com Knapp et al. (2004), as crenças nucleares são as nossas ideias e conceitos mais enraizadas e fundamentais sobre nós mesmos, das pessoas e do mundo(1). São incondicionais, são formadas ao longo da nossa história de vida, segundo nossa percepção e interpretação dos eventos(1).

Judith Beck (1995), propôs que as crenças disfuncionais poderiam ser colocadas em dois grupos crenças, agora expandidos para três:

  1. Crenças nucleares de desamparo: crenças sobre ser impotente, frágil, vulnerável, carente, desamparado, necessitado.
  2. Crenças nucleares de desamor: crenças sobre ser indesejável, incapaz de ser gostado, incapaz de ser amado, sem atrativos, imperfeito, rejeitado, abandonado, sozinho.
  3. Crenças nucleares de desvalor: crenças sobre ser incapaz, incompetente, inadequado, ineficiente, falho, defeituoso, enganador, fracassado, sem valor(2).

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

  1. Knapp P et al. Terapia Cognitivo-Comportamental na Prática Psiquiátrica. Knapp P, editor. Porto Alegre: artmed; 2004.
  2. Beck J. Terapia Cognitiva: teoria e prática. Porto Alegre: Artmed; 1997.
20210405_142857_00001232075552041687944.png

Depressão: o que é?

A depressão é uma doença psiquiátrica, seus principais sintomas são:
– tristeza profunda;
– perda do interesse;
– ausência de ânimo;
– oscilações de humor.
Muitas vezes é confundida com ansiedade, podendo levar a pensamentos suicidas.

Diagnóstico é importante e iniciar o acompanhamento médico é psicológico.

 

Vitor Souza Mascarenhas
CRP 04408
Sócio-Proprietário das Clínicas CIAC e CliorP
Mestre em Tecnologias em Saúde
Docente da Pós-Graduação UNIFACS Laureate International Universities
Especialista em Terapia Cognitiva
Especialista em Terapia Analítico-Comportamental
Especialista em Neuropsicologia e Reabilitação

IMG_20210227_155023_045.jpg

Mais Empatia e Respeito

 

Podemos tornar nosso mundo melhor. Menos ódio e separação.

Então, o que podemos fazer para buscarmos viver mais felizes?

Vivemos um momento muito delicado, todos precisam se ajudar. Respeite o próximo, tente se colocar no lugar dele. Se não conseguir falar algo positivo, fique calado. Busca incentivar e corrigir quando observar que uma pessoa errou.

Portanto, não criticar, discutir e tentar colocar outra pessoa para baixo. Devemos sempre incentivar, parabenizarmotivar. Crie esse hábito, vamos começar essa mudança.

 

Mais empatia, menos ódio.